Fetiche! Esposa mijando na cara do marido submisso.

Alguns cornos já me relataram seu desejo em realizar a fantasia da Chuva Dourada. Ter uma linda esposinha "mijando" na cara lavada de trouxa do corno. Sabemos que nem todos têm esta fantasia, mas para aqueles que desejam muito isso, vamos repassar algumas dicas que encontramos no site Segredo do Prazer. 




Mas como assim?”, você deve estar se perguntando. “Como é que alguém pode ter tara por uma coisa destas? Mijar na boca do outro? Receber um jato de urina em meu corpo?” As possibilidades podem lhe arrepiar…Mas por que se fechar à curiosidade que um assunto tão polêmico possa despertar?
Por isso, ainda que seja somente como uma introdução, trazemos algumas respostas para tudo aquilo que você tinha medo de perguntar: como é possível gostar da chuva dourada (uma das modalidades deste fetiche)? É normal se excitar com isso? E se eu quiser experimentar, como falar de algo assim com minha parceira ou parceiro?

Vamos conhecer então um pouco mais sobre este fetiche?



1. Como posso tocar/engolir esta “coisa”?
Para início de conversa,é perfeitamente normal  encontrar encontrar resistência, nojo ou outros sentimentos negativos quando um assunto como a chuva dourada entra em pauta. Por isso, antes de mais nada é preciso respeitar os limites, os seus próprios e o de sua parceira ou parceira. Ninguém é obrigado a fazer algo que não quer, a submeter sua sexualidade a um desejo que lhe pareça estranho. E levando em conta os significados negativos que atribuímos à urina em nossa cultura (sujeira, vergonha, contaminação, etc.), é natural encontrar esta primeira barreira mental.
Porém, antes de “fechar a questão”, é interessante conhecer um pouco mais sobre esta prática. Começando pelo fato de que a urofilia não necessariamente envolve beber urina. Existem formas mais “suaves”, digamos assim, de explorar este fetiche.
Por outro lado, um contato mais próximo com o xixi não é uma coisa tão fora do comum como possamos pensar em um primeiro momento. Em várias culturas, a urina é utilizada em rituais de fertilidade ou mesmo como produto cosmético. Na África Equatorial há tribos que misturam cinzas e argila à urina, formando uma pasta muito eficiente na proteção contra picada de insetos. Já no Ártico, a urina é usada para a higiene pessoal, pois a água é um item precioso e raro no inverno.
Estes costumes também podem ter significados místicos. Nas populações pré-cristãs da Europa, os homens mais sábios e mais velhos consumiam um cogumelo, Amanitas muscara, com propriedades alucinógenas. Os membros mais jovens destes grupos religiosos bebiam então a urina dos anciões, pois o elemento psicoativo passa inalterado pela urina.
Pelo lado da saúde, há pessoas que alegam que tomar a própria urina, logo pela manhã, é uma excelente forma de ativar o metabolismo. Além disso, qualquer especialista em sobrevivência irá lhe dizer que beber a própria urina pode lhe manter vivo um ou dois dias a mais em um deserto.
Com todos estes usos em vista, percebemos que a urina não faz mal, como poderia se imaginar. Na verdade, o xixi só cheira mal depois que ele é exposto ao ar e às bactérias; quando ele acabou de ser expelido, é totalmente estéril.
Finalmente, se o cheiro ou a cor amarela da urina forem repulsivas para você, há formas de contornar a situação, como veremos mais adiante.



2. Se eu quiser experimentar, como posso superar a vergonha (a própria e a do outro)?
Depois do estranhamento inicial, vem a curiosidade. Pode ser que a chuva dourada lhe atraia e você a queira provar desta novidade. Mas se reconhecer seu próprio desejo já é um desafio, imagine então falar sobre este assunto com sua “cara-metade”?
Por isso, uma boa dica é começar sozinho/a. Por exemplo, durante o banho, faça xixi em sua própria mão. Qual é a sensação? Este exercício pode servir para lhe familiarizar com a sensação da urina sobre sua pele. Porém, mais importante, é que ele lhe ajudará a tomar coragem e se acostumar com a ideia de estar dando este passo adiante. Não se preocupe: a urina é totalmente solúvel e será lavada pela água do chuveiro. Explore a vontade, sem medo.
Depois se familiarizar, você pode tentar o mesmo com seu parceiro ou parceira, num banho a dois. Encare isso como uma brincadeira, uma intimidade a mais a ser compartilhada.
Se você morar perto de um corpo de água exterior, como um rio, lago ou a praia, vocês poderão sentir o xixi um do outro, abraçadinhos. A sensação é diferente em relação ao chuveiro e vocês também não precisam se preocupar, pois o xix será rapidamente dissolvido.
Outra forma de começar é pela visão, sem precisar tocar ou sentir a urina em seu corpo. Ver seu parceiro ou parceira se aliviando, sem entrar em um contato sexual mais íntimo pode lhe ajudar a se familiarizar com os sentimentos de excitação pela urina, de uma maneira menos agressiva. Você pode adicionar um elemento lúdico, tentando diferentes posições ou sugerindo lugares ou momentos inesperados para uma mijadinha.


3. Hmm, vou ter que começar do início…como falar sobre esta fantasia?
Se você já possui experiência em compartilhar suas fantasias mais íntimas, falar da chuva dourada não é tão complicado como parece. Afinal, existe um clima de confiança, abertura e honestidade entre vocês dois.
Mesmo que a chuva dourada seja um assunto mais sensível que outros desejos comuns, o espaço está ali, pronto para você mostrar seu lado mais profundo e escuro. Se este não for o caso, como em um início de relacionamento, será preciso criar esta dinâmica no relacionamento, com paciência e perseverança.
Contudo, soltar um “Amor, quero mijar em você, por que você não se ajoelha aqui na minha frente?", provavelmente não é um bom ponto de partida. Então o que fazer?
Uma primeira estratégia é escolher um momento de intimidade e de relaxamento e comece a elogiar o corpo dela ou dele. Comece a dizer do que você gosta mais e transforme as palavras em ação, acariciando e tocando. Em seguida, fale de seus desejos e fantasias. Abra seu coração e, somente então, fale de sua fantasia de chuva dourada. Você precisará ser sutil e hábil, para que pareça uma tentativa de manipulação. E claro, este tem que ser um diálogo claro e honesto.
Se não funcionar na primeira vez, e há boa possibilidade de que não dê certo, deixe o assunto de lado por algum tempo, para voltar a uma nova tentativa. Pode ser que haja um momento melhor, por exemplo, quando houver um pouco de humor ou descontração envolvidos.


4. E o cheiro?  E o gosto?
Para muitas pessoas, o que torna o xixi algo não atrativo não é nem tanto a natureza deste líquido, mas seu cheiro. Se este é o problema, diluir a urina é a solução. Quanto mais líquido você tomar, seja chá, suco de frutos ou a boa e confiável água mineral, menos concentrada será sua urina e menos cheiro ela terá. E claro, para quem gosta de uma boa cervejinha gelada, o efeito diurético deste líquido dourado é bem conhecido.
Mas nem só de líquidos vive nosso xixi. A alimentação também importa, na medida em que ela é o meio de eliminar subprodutos da quebra das proteínas em nosso organismo. Carne, peixe e ovos vão acentuar o cheiro da urina. Somente lembre-se que não é o que você comeu umas horinhas atrás que vai causar este tipo de problema: é muito mais a refeição do dia ou dias anteriores que irá causar uma concentração maior de uréia.
De qualquer forma, beber bastante líquido é uma das recomendações de saúde mais simples e mais importantes que você pode tomar em sua vida. Se você seguir a a prática de se hidratar e beber oito copos de água, cerca de dois litros por dia, sua urina será pouco mais do que uma “aguinha” salgada. E de quebra, você estará mais terá mais beleza e saúde.


5. E a bagunça? E a molhadeira?
O problema é óbvio. Uma boa mijada pode chegar a ter meio litro e agora você se pergunta: para onde vai todo este líquido?
Sem um grande esforço de preparação, na forma de lençóis de plástico e outros materiais impermeáveis, seu quarto não é o melhor lugar para praticar os “esportes aquáticos”, como também é chamada a urofilia.
Já o banheiro é uma boa opção, pois ele já foi projetado para dar vazão a líquidos. A banheira ou o boxe do chuveiro são alguns dos locais preferidos para os praticantes desta arte.
Outra solução é mais radical: simplesmente saia de casa. Fazer xixi ao ar livre é algo natural, pelo menos para os meninos. Somente tome cuidado para não ser pego! Além da vergonha, você pode entrar em sérios problemas por seu exibicionismo.
Finalmente, uma forma discreta, quase invisível de mijar em público é durante uma chuva. Para quem gosta de namorar, dançar, brincar na chuva, o fetiche pelo xixi será um elemento a mais, secreto, de sua diversão.






6 comentários:

  1. Eu e minha esposa praticamos chuva dourado e é muito bom. Mas eu curto mais do que ela, gosto que ela mije na minha boca depois que o macho fixo come ela. É um prazer muito diferente bater uma punheta enquanto a esposa mija na boca do corno

    ResponderExcluir
  2. eu bato punheta enquanto o macho dela esta fodendo,só fico de pau duro quando vejo outro cara fodendo a Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm meu amigo. Só fico de pau duro qndo outro homem está comendo minha Tati. Da muito tesão

      Excluir
    2. parabéns,voce gosta de curtir as coisas boas da vida,sua Tati é uma esposa feliz,felicidades aos dois.

      Excluir
  3. Me gusta, lo hacemos, es delicioso, a mi marido le gusta hacerlo cada vez que voy a orinar.
    http://lauritamadura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. COMEDOR EM GUARUJÁ PARA CASADAS LIBERADAS PELO MARIDO - hmaduromaduro@gmail.com - EXPERIMENTA!

    ResponderExcluir